Postagens

Como a dieta da lua me ajudou

Você conhece a dieta da lua? É assim, você pode comer de tudo, menos a lua.

Daí que eu estava comemorando minha adultice, e tava gastando minha grana onde eu quis, e aí que eu quis muita comida.

E aí que eu experimentei muita coisa!

E sabe, com dinheiro tudo nessa vida é mais fácil!

Mas, comer de tudo foi uma experiência ótima. Eu não me lembro direito, sei que sempre fui de comer, mas eu não tinha bem claro desde sempre essa coisa de tudo - aqui - e - agora. Comia tudo o que minha mãe cozinhava, compravamos algumas porcarias.

Mas me parece que eu não saia pra comer. Me parece que eu economizava no que era permitido.

Sabe quando você sai pra comer de galera, e aí fica instintivamente agindo com se as outras pessoas estivessem julgando todas as suas escolhas?

Então. Eu basicamente parei de me importar. Aí eu comecei a comer de tudo, a quantidade que eu quis, na hora que eu quis.

E quer saber qual foi a coisa mais maravilhosa que me aconteceu? Eu parei de querer!

Sim, sério, chegava vez…

O começo da jornada: sendo normal

Ter ido a nutricionista e ter sofrido lá dentro (e aqui dentro) foi uma das melhores coisas que aconteceram nos últimos tempo.

Voltei a olhar pra mim, a ter carinho comigo. Voltei a ter prazer em comer!

Tenho tanta coisa pra escrever que nem sei por onde começar, ou como organizar tudo isso. Então estou despejando tudo e seja o que deus quiser.

Eu sofri, engoli muitas lagrimas, mas a minha força foi maior! Eu sei o que eu quero.

Quando eu morava com minha mãe, não precisava tomar decisões. O que tinha pra comer era aquilo. Variava bastante e meu pai sempre foi chato com os mato dele. Mas era aquilo (e meu pai também nunca foi muito pro-ativo nas refeições para além dos matos).

Quando eu casei, meu marido tomou posse da cozinha. Eu quase não tenho autonomia nisso. Nem me ajudar ele deixa. (sério, irrita as vezes, agora ele está aprendendo que pode delegar e paralelizar, e que dois produzem mais rápido do que um só). Aí eu fiquei muito a mercê da consciência dele.

E sinceramente, a gent…

O retorno na nutricionista: tristeza

Eu voltei na crossnutri. Voltei e paguei pra voltar.

Ela me recebe com um "e aí? já sentiu alguma diferença no corpo?"

Eu sinceramente não entendo, não entendi. Desde que ela colocou os olhos em mim ela quis me emagrecer! Quer dizer, entendo! Essa é a "profissão" dela, emagrecer pessoas! mas será que é isso que tinha que ser?

No retorno ela começou me perguntando como tinha ido, eu fui falando, e sim eu reclamei de mais! Reclamei de um monte de coisas, mas principalmente, eu não quero um plano alimentar detalhado (ou mais ou menos detalhado) em um papel!

Sabe, sinceramente minha vida não cabe em um papel, ou uma planílha, mas ela não entendeu isso.

Eu fiquei repetindo que eu não queria emagrecer! Que eu queria ser saudável. Mas eu fui ficando nervosa, tão nervosa, tão nervosa que fui me calando. Porque meu principal objetivo era não xingar ela, e sair de lá com a consciência tranquila sobre ser um encontro profissional.

Então eu fui me calando. Pra não xingar.

Teve…

Fui na nutricionista

Nunca tinha ido, não sabia o que esperar além do clássico: dietinha padrão e ser chamada de obesa.

Pois bem, foi exatamente isso que aconteceu comigo.

Só que ela não me chamou de obesa, ela me colocou na balança cheia de nove-horas. Ela me mostrou o "resultado" numa página da web, com vários e vários outros números, me colocou como obesa II e me disse que "com esse resultado as chances de blablabla e bliblibli são muito aumentadas".

Aí ela me disse que para sair do "vermelho" eu tinha que pesar 80 quilos, e depois disso eu que decidia.

E eu fiquei pensando nisso.

Não fui preparada para revidar tudo isso na hora, deixei que ela fizesse o que ela está acostumada, e me deixei convencer de que eu tinha que pesar 80 quilos.

Mas, mano, quem disse que eu tenho que pesar 80 quilos?

Quem disse que eu só posso escolher DEPOIS de estar nos 80 quilos!?

Essa é uma escolha SOMENTE minha! Eu que estou assumindo ou não o risco de pesar ou não mais de 80 quilos, não ela. …

Comecei na dança do ventre

Comecei a fazer dança do ventre há mais ou menos um ano e meio. Foi no começo de 2016.

Comecei porque todo mundo diz: Atividade Física, lero-lero-lero!

Mas sabe, nenhum saco pra fazer caminhada, corrida, academia. Eca!

Então achei que fazer uma aula de dança pudesse me ajudar. E já no primeiro dia avisei a prof: não vou apresentar! Não quero glamur!

O que aconteceu? Já apresentei 3 vezes. Todas sofri tudo o que eu achei que sofreria, principalmente:

nervoso por ser filmada e virar memenervoso por errar a coreografianervoso porque não gosto de maquiagem e toda essa meleca de "ser mulher"nervoso de nervoso mesmo Eu gosto? Não, não gosto! Mas eu sobrevivi!

Agora, fazer a aula eu gosto! Gosto de treinar, gosto de ver a coreografia encaixando na música, gosto de ver eu lá no começo e eu agora, tão mais evoluida! E ver que ainda tem um caminho LONGO até eu parar de ter cara de aluna!

Mas, é uma atividade física maravilhosa! Eu realmente esqueço do mundo quando estou lá. Não quando …

O ano é 2017

Faz mesmo tanto tempo que não posto nada?

Eu tenho pensado em todas as coisas que mudaram na minha vida desde 2007, quando esse blog começou, e desde 2010, desde que casei, e desde 2015, desde a última vez que postei no blog.

Mas, não vim aqui pra isso. Interessante que quem gosta de escrever, acaba sempre escrevendo alguma coisa.

Eu tenho lembrado de algumas merdas que escrevi no passado, aqui nesse misero blog, e fico me perguntando se devo ou não remover.

Por um lado, é merda e ninguém merece.

Por outro, eu não sou mais aquilo, mas já fui aquilo.

Quanta opinião que mudou, quanto jeito de escrever texto que mudou.

Pois bem, voltei porque quero colocar alguns ensinamentos pra fora, algumas angústias e quem sabe, alguma coisa boa.

As vezes penso em pegar um caderno e desatar a escrever. Mas me sinto uma idiota. Bom, normalmente eu me sinto uma idiota, menos quando não me sinto.

Isso tá com cara de "meu querido diário" mas é assim mesmo que vai ficar.

Abraços,
#fui

Costas

Todo mundo que eu conheço tem dor nas costas.

As vezes mais. As vezes menos. Mas todas têm. Então eu nem me dei conta quando comecei a sentir as minhas. Na minha cabeça era natural, eu nem percebi.

Até que quinta feira, dia 29/11/2015 eu acordei com uma dor estranha. Era uma dor não quando se inclina pra frente ou pra trás, mas quando se dobra no meio, forçando ombro com ombro. E eu, como boa humana que sou, achei que fosse só um mal-jeito qualquer.

Até que sexta feira, dia 30/11/2015, em vez de melhorar, piorou. As vezes eu achava uma posição que não doia. As vezes só de respirar (e encher os pulmões) já ativava a dor. E fomos almoçar.

E cada engolida provocava duas ondas de dor. Eu quase conseguia sentir o bolo alimentar descendo pelo esôfago.

Pedi penico e fui no PS.

Meu maior medo era ser um caso precoce de herpes zoster. Minha mãe teve, e foi bem traumático. Corremos no neurologista depois do ortopedista não achar nada e olhar pra gente com cara de morte na família. Não foi legal…