Teoria reversa do ânimo


Imagine que nossa vida é como a figura, temos ondas de ânimo conforme o tempo vai passando.

A parte vermelha é aquele dia em que estamos super animadinhas! Acabamos de comprar aquela blusinha MA-RA-VI-LHO-SA! e estamos nos achando super poderosas! "Aquele carinha" olhou pra gente e mandou um bilhetinho. "Aquela mocreia" quebrou 3 unhas de cada mão. Nossa chefe nos deu aumento. Emagrecemos 3 quilos! Acabamos de caber em uma calça 40!

A parte azul é aquele dia em que, mesmo estando um sol lindo lá fora, temos certeza que é colocar o pé na rua que a chuva vai cair em nossas cabeças. É quando o salto do sapato quebra, bem depois de entrarmos no busão lotado e descobrirmos que não tem como voltar. É quando vamos almoçar e uma coxinha com refri parece ser a melhor coisa pro almoço, quando não partimos logo pra sobremesa. É quando o carro resolve não pegar. Quando o gato do visinho faz cocô nos nossos vasos.

A parte preta é quando estamos normal. Não está ótimo, mas também não está ruim.

No meu ponto de vista. Precisamos ter ânimo quando mais precisamos! Na parte vermelha da curva, não precisamos de mais ânimo. Na parte preta, tá tudo legal. Agora, quando chega a parte azul é que precisamos nos animar, nos motivar, nos convencer de que a luta continua!

Acho que ânimo nós construimos. É mais ou menos como a felicidade. É como ter o braço levantado.

Manter o braço abaixado é o nosso normal. Não cansa e não precisamos de esforço nenhum. Porém manter o braço levantado é cansativo. Chega uma hora que precisamos descançar, abaixar o braço e alongar. Pra mim, a hora de levantar o braço é quando chegamos no azul. E a hora de alongar é quando chegamos no vermelho.

Precisamos de ânimo quando precisamos!


Comentários

  1. Wowww! Nada como uma engenheira prá dar a visão racional das coisas, hehehe! Eu gosto dessas teorias. E saber que são ciclos ou que estamos em torno de um ponto que oscila, mas se reveza entre extremos é reconfortante. É mais ou menos aquilo que se diz: não há bem que dure sempre nem mal que nunca se acabe. E eu tinha voltado prá esticar meu último coment que achei miserável e encontrei sua atualização ( meu reader ainda demora prá atualizar). Queria falar do trampo. Trabalhei milênios em RH e garanto que a turma é lenta e não costuma se preocupar muito com a ansiedade dos candidatos. Ainda deve estar em avaliação. E eu não estou tristinha, só um pouco de saco cheio. Acho que mesmo se tivesse emagrecendo a mil. Afinal, manter o braço levantado o tempo todo cansa, não é mesmo? Bjocas. Zá

    ResponderExcluir
  2. huahuahua... tu faz o quê, hein? hahahaha. Gostei da refelxão gráfica da vida. Eu tenho momentos parábola, mas nunca linha reta. Acho que ninguém tem... Bjinhos

    ResponderExcluir
  3. Show de bola !!!!!!

    Pôxa ! adorei isso ! Entrei agora numa fase... tpm... sei lá... estava tudo indo muito à mil ! até demais da conta ! e entro aqui e vejo que não estou sozinha !
    Caraca ! que legal isso ! cada vez mais vou apreciando essa mulherada aqui do mundo blogs lights !!!!

    Obrigada pela força sempre ! e claro esse seu humor que é fantástico !parabéns querida !

    beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Oi miga e aí está na fase vermelha??rsrsrs
    Estou passando para dar uma espiadinha e verificar como anda sua RA.
    Continua assim com esta garra que logo alcançará teu objetivo.
    Sua história de RA é estimuladora.

    Uma semana cheia de conquistas!
    Bjos ¹²³

    Meu blog: www.rumoaopesoideal.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oie, obrigada pela visita. seja sempre bem vinda!
    E também muito obrigada pela dica, conversando ontem com o Prof. da academia ele me disse a mesma coisa.
    Parabéns para você que pelo que vi já perdeu bastante e isso ai...vamos que vamos na nossa reeducação né?!
    Vou acompanhar vc tá?!
    Um beijão

    ResponderExcluir
  6. Uauuu vim aki pra te agradeçer pelo comentario no meu post do desafio de inverno e vejo um post assim nossaaaa... parabens concordo com vc plenamente... viu.. adorei seu post bjs!!!

    ResponderExcluir
  7. Cheia das teorias.
    Bom post.
    Obrigado pela visita.

    ResponderExcluir
  8. é por isso q eu te admiro tanto e nem preciso lhe dizer novamente ke vc eh minha idola..mto bom seu post...mas eh tao dificil erguer os braços qdo estamos na pior......meeee

    bjuxxx

    tenha uma linda semana

    ResponderExcluir
  9. Tudo bem q não consigo visualizar a figurinha, mas pelas suas palavras... Concordo plenamente!
    Meus braços estão "meia boca"...
    Bjos!

    ResponderExcluir
  10. aah, q legal isso q vc escreveu, querida!!!

    hj, voltando daa facul,eu conversava sobre isso com a minha amiga marla. nada é pra sempre> nem os momentos ruins nem os bons...

    beijocas..

    ResponderExcluir
  11. Uau, seus posts são geniais!!!
    É incrível como vc consegue mensurar tudo, até sentimento!!! Adorooooooooooo!
    :)
    beijos

    ResponderExcluir
  12. hum amiga...q beleza isso...eu penso q o fato de estarmos todas juntas, faz com que nos postemos mais na parte vermelha da parábola...e derepente aí eh q, mesmo sem perceber, estamos armazenando combustível e tonificando a musculatura do braço pra que ele fique levantado qdo precisamos...precisamos de motivação qdo precisamos...e qdo precisamos e não temos energia para manter o braço erguido, a outra amiga dá a mão e ajuda a levantarmos...essa é a nossa união! mil bjs ;) surya (sassá)

    ResponderExcluir
  13. Adorei a reflexão e a analogia do braço levantado. Obrigada pela força e pela visitinha! Agora q retornei, espero poder passar aqui com mais frequencia! Bjins

    ResponderExcluir
  14. Oi Gordinha!

    Realmente nosso nível de humor é uma senóide.

    Bom seria se a gente pudesse identificar quando estamos na área "azulada" e assim contornar a situação, tomando alguma atitude remediadora, como reflexões, música, replanejamento, reza, um dia sem fazer nada.... hehehe

    Cada um deveria ter um portfólio de poções emergenciais para fazer levantar as "ações" da nossa bolsa humoral!

    hahaha

    Beijos!

    ResponderExcluir

Postar um comentário