11/21/2007

Familia hipopótamo!

Quarta é dia de mercado (ou super mercado) aqui na minha terra (ou aqui com a minha mãe). Então passei a manhã toda fora de casa, voltei só pra almoçar e já saí pra montar o presépio na igreja (coisas da minha mãe, eu sou só serviço braçal). Acabei de chegar agora.

No mercado eu vi uma coisa que me fez filosofar. Antes de contar vou dizer que se eu tivesse que escolher qual bicho seria em outra encarnação, escolheria o hipopótamo! Porque ele é um bicho super fofinho que fica lá na água e não passa calor! E ele é o bicho que mais mata humanos na África depois do mosquito (que mata por doenças tipo dengue). É só uma brabeza pra me defender, ok?

Voltando. Vi no mercado uma família de hipopotominhos. Papai, mamãe e pasmem filhinha! O pai e a mãe eram bem gordões. A filhinha tinha seus 5/6 anos, e já era bem gordinha! Tirei uma foto deles ô:


O ponto que fiquei filosofando é o seguinte, é óbvio que eles sabem que são gordos. Eu quanto tinha 5 anos já sabia que era mais gorda que o resto das crianças. Mas será que eles não precisam só de uma pessoa que chegue e conte que é possível emagrecer?

Eu devo chegar lá e falar: Oi! Nossa, emagreci 20 quilos, vocês não acham que é perigoso pra essa criança ser assim uma obesinha? Não querem saber o que eu fiz?

Eu na verdade acho que uma abordagem assim direta (chamar eles de gordos, e depois me chamar de magra) só faria com que eles se enfiassem ainda mais no sorvete. Mas como ajudá-los?

O ponto principal da questão é o seguinte:

Eu devo ou não tentar oferecer ajuda para os gordinhos e gordinhas desconhecidos que acho pela rua?

E aí? O que vocês acham?

18 comentários:

  1. Querida Gordinha da Silva, hoje, na fila do caixa eletrônico me fiz essa mesma pergunta. Tinha uma menina bastante acima do peso na minha frente e eu fiquei pensando: "Digo ou não digo pra ela que a reunião do Vigilantes do Peso acontece toda quarta no 5º andar deste shopping?"...Froids, fiquei com vergonha, como falar para uma pessoa gorda que ela pode ser magra (não só por estética, mas para ter uma saúde melhor) sem ofendê-la ou sem que ela ache que vc é doida? Pergunta difícil...quero ver as respostas das outras meninas. Beijo, Neblina.

    ResponderExcluir
  2. Querida, esta questão é muito complexa. Quando eu era obesa mórbida, com meus 140kg, por mais que eu soubesse que estava super acima e quisesse mesmo tomar alguma atitude (mas não tomava a certa), eu detestava que alguém me abordasse na rua para falar do assunto. Porque, por melhor que fosse a intenção da criatura, eu achava aquilo invasivo. E não foram poucas as vezes que fui abordada, nossa, de todo jeito. Bom, à medida que fui emagrecendo, com o VP, e mudando muito meus hábitos etc., observando muito a mim mesma e aos outros, comecei a sentir isto que você sentiu ao ver a família em questão. Porque eu estava super feliz com a mudança que vinha implementando, com meus resultados, com os benefícios a cada dia mais deliciosos de constatar, e queria expandir isto, queria poder contribuir para que outras pessoas também acordassem. Mas, naturalmente, evitei a abordagem direta porque lembrei de como eu sentia antigamente. Quando tive oportunidade, ou soube de alguma forma criá-la sem que a pessoa notasse que era uma abordagem, aí sim eu mencionava meu caso e a pessoa demonstrando interesse, me abria a brecha para eu falar mais e ajudá-la. Fora isto, realmente eu evito. Outro dia mesmo fiquei horrorizada novamente, uma mulher e o filho de uns 6 anos no máximo, ela muito obesa e ele idem, ambos correndo (ou seja, tentando) para atravessar a rua e era uma dificuldade para os dois. Pensei no garoto sem mobilidade numa época em que é tão bom brincar, correr, pular... pensei em tudo aquilo e em como seria bom aquela mulher acordar. Mas fiquei na minha.

    Beijos
    Beth
    http://aconquista.zip.net

    ResponderExcluir
  3. Olha,sinceramente... Quando você não conhece as pessoas, essa atitude pode parecer agressiva. Afinal de contas,a maioria das pessoas não é feliz com o sobrepeso, e isso poderia parecer humilhação. Bom, eu me sentiria mal.
    Acho que você poderia formar um grupo tipo "Gordinhas Anônimas",ehehehe... Ia ajudar um monte de gente, com a diferença de que eles realmente iriam querer isso.


    Bjo querida!


    FUIZ...

    ResponderExcluir
  4. Oi Oiiii! Bom, primeiro que eu já sabia que vc ia zuar com meu post-patricinha, hehehe. Em minha defesa só tnho a dizer que as regatas custaram bem baratinhas pois comprei direto de uma fábrica de biquinis e também uso no dia a dia. O resto comprei prá acompanhar as regatas, hehehe. Mas não foi nada carésimo pq sou mão de vaca! .. Agora qto ao seu post, eu já me peguei querendo pegar nego pelo braço e chamar à razão, mas felizmente parei a tempo. Fiquei pensando que as pessoas podem se aborrecer, se ofender, não gostar da intromissão, me bater, me mandar à merda ... enfim, achei melhor ficar na minha, quem quiser que pergunte. Mas que dá vontade, dá. Bjs e até. Vou mimi. =*

    ResponderExcluir
  5. hum...na minha opinião,não.
    Tu sabe aqueles crentes que ficam no meio da rua e te enfiam um panfletinho na cara quando a gente tá passando e dizem passagens da bíblia?( por deus...que vc n seja crente ou se ofenda com issO) mas é a mesma coisa.

    acho que vc pode estar pronta pra ajudar quem vier buscar ajuda, mas sair a cata de 'fiéis' não vai adiantar em nada. E outra...
    nem todo mundo quer ser magra, é fato. Muita gente vai bater com a porta em vc, e será perda de tempo de ambas as partes...

    um abraço

    ResponderExcluir
  6. Amiga qr a minha opinião??
    Fique na sua, capaz dos mamutes te pisotearem toda, ou vc naum sab q gordo eh estrassado??
    COloquei foto das minhas banhas emergentes no blog, espero q goste delas...kk
    Beijokinhas achocolatadas
    Miss Dieta

    ResponderExcluir
  7. Já pensei nisso em relação àqueles pais desnaturados que enchem os pequenos obesinhos de maioneses e batatas fritas nos mc'd da vida, mas acho que não convém, a reação é imprevisível. Mas dá uma vontade danada.
    Ei, e aí tem hipopotámo é? No meio da praça é? Onde? Explica que eu não entendi.
    Bj.

    ResponderExcluir
  8. Amiga, numa boa...eu não aconselho!
    Sabe que tenho uma cunhada que era muito , mas muito gorda mesmo. Um dia, eu toda boazinha fui contar que tava fazendo regime, que se ela quisesse a gente podia fazer juntas e caminhar e...antes que terminasse de falar ela se levantou e disse em alto e bom som " Eu sou feliz como sou, amo meu marido, amo meus filhos, se você é frustrada e infeliz o problema é seu"
    Esse piti todo pq eu a conhecia. Imagina o que podemos esperar de desconhecidos.
    Ah! só para que fique registrado, a tal da "feliz como sou" fez cirurgia de redução de estômago uns anos depois disso.
    Beijosss

    ResponderExcluir
  9. Gordinha,

    Acho invasivo essa coisa de chamar as pessoas "para a razão". Eu pelo menos não curto nem um pouco e olha que isso já rolou algumas vezes.
    Cada um tem seu problema - comportamental, físico ou emocional- e como a gente não sabe o que acontece com cada um é melhor deixar que cada um ache seu caminho.
    Achei legal a idéia do Grupo das Gordinhas Anônimas. :o)
    Bjs
    Mi

    ResponderExcluir
  10. Ixi ...

    Essa é uma pergunta complicada ... mas apesar do desejo que temos de ajudar as pessoas, essa abordagem causa um certo constrangimento, susto, indiferença no outro ... então eu prefiro não abordar as pessoas.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  11. flaviaegutierrez@yahoo.com.br22 de novembro de 2007 10:40

    Gordinha, não perca o ótimo bom senso q vc tem! não faça isso! qdo vc era mais gordinha algum desconhecido já chegou a te oferecer ajuda? se sim, oq sentiu? isso aconteceu comigo e eu fiquei triste, mas triste mesmo! e a coisa só piorou, pq de tão triste descontei tudo na comida. Eu acho que a iniciativa tem q vir da gente, a gente tem q querer. Não adiantava, pelo pra mim, o Papa vir falar dos riscos q eu corria! Até que eu resolvi mudar! Bom, é só minha opinião...

    ResponderExcluir
  12. Tem pergunta mais fácil não? hahaha
    Acho que tem que ser como a Beth falou: se surgir a oportunidade... manda bala! Ou então, crie a oportunidade. Ou então... deixa passar!Fazer o que, né. Quanto ao outro post, gostei da idéia do "sorverte". É bem parecido com aquele tal de "sorbet", né? (já ouviu falar?). Vou experimentar. Bjins

    ResponderExcluir
  13. Gordinha:
    fecha a matraca, muier!
    Ainda há poucas semanas, um homem entregou-me um panfleto que pensei ser de uma qualquer publicidade. Afinal era do sistema Herbalife e o idiota tem a lata de me dizer "acho que devia ir a uma demonstração, está a precisar, não acha?". Olhei para ele e rasguei o papel calmamente.
    Achei uma lata do caraças um perfeito estranho mandar bitaites sobre o meu aspecto.
    Mas compreendo-te: quando vejo pessoas muito gordas tenho vontade de as abanar, de lhes dizer "acorda, estás num caminho perigoso".

    Ainda há dias, numa loja estavam duas raparigas bem gordonas. Uma diz "aqui só há roupa para magros, não fazem para quem tem uns kilos a mais"
    Tive vontade de lhe dizer "não, aqui ATÉ tem roupa grande... mas tu não tens uns kilinhos a mais, tu tens umas dezenas a mais, por favor procura ajuda". Calei-me claro.
    Se ela me mandasse à me... estaria no seu direito, claro.
    Agora as crianças... isso deixa-me doente!

    ResponderExcluir
  14. Oi querida, estou aqui pela primeira vez e amei seu blog! Divertidíssimo!!
    Adorei a família de hipos fofinhos, rsssss.
    Bom quanto a abordar as pessoas, eu tb morro de vontade. Quer ver o lugar que me deixa desesperada? Um restaurante. No fim de semana passado eu tava almoçando com meu pratinho ultra saudável e sentou um cara na minha frente que devorava uma feijoada com aqueles pedações de gordura brancona mesmo sabe, de porco. Eca! E ele comia com uma satisfação sabe?! Nossa fiquei pensando, meu Deus, será que esse cara sabe que aquilo ali vai entupir as veias dele e ele acumulando isso (pq ele deve ter o costume de comer aquilo) ele pode ter um infarto? Me deu uma vontade de ir conversar com ele. Mas pensei, e se ele me mandar pra aquele lugar? Afinal eu ainda estou gordinha tb. Não fui. Deixei o gordurento pra lá e terminei meu almoço. Afinal eu mudei meus hábitos, mas nem todo mundo tá a fim né amiga? E tb tem a questão vergonha, tem gente que morre de vergonha de que fiquem as observando. E outras que são gordinhas por problemas de tireóide por exemplo. Então, minha opinião é: Não fale nada não. Vire orientadora do VP, vc vai conseguir realizar seu desejo de ajudar gordinhos, risossss. Boa né? Uhhuuu!!
    Beijos querida. Me visita lá no meu blog tá. Linkei vc lá ok. E me add no MSN se quiser: cfribeiro@hotmail.com
    Um Beijo e parabéns pela meta alcançada!

    ResponderExcluir
  15. Querida, concordo com muitos dos comentarios que li..sempre que for julgar os atos de alguem (no caso pessoas que comem demais) temos que imaginarmos no lugar dessa pessoa, faca essa pergunta a vc. mesma e vc. iria gostar? na epoca que vc. era gordona como vc. diz...fico triste quando noto como as pessoas esquecem o que passaram ou o que ja foram..no caso quem fica rico e pisa em quem e pobre, esquecendo que um dia tambem foi pobre...gordinhas que emagrecem e esquecem que passaram um bom periodo de sua vida gordas...e o mais triste, ridicularizam essas pessoas chamando as de hipopotamo..so queria que colocasse a mao na conciencia. Vc. gostaria que a Gisele Binchen magerrima se referisse a vc. como hipopotamo...pois como vc. mesma diz que vc. era gordona e agora e gordinha..ja parou para pensar que perto da Gisele ela pode te considerar hipopotamo vc. ia gostar? Gostaria que alguem te sugerisse um dentista,um cabelereiro ou um banho de loja?Acho que ficaria chateada, falaria um monte para essa pessoa.Acho que nao devemos julgar ou intrometer na vida de ninguem a nao ser que a atitude dessa pesssoa esteje de alguma forma te prejudicando.Agora se nao tem nada a ver com vc. pra que magoar as pessoas?E o que penso...me desculpe...

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Bem, eu nunca sequer me coloquei essa questão pq as pessoas que têm excesso de peso não estão noutra dimensão e sabem que estão fora de peso e forma. E levar respostas do género "eu não quero ficar sem comer o que eu gosto", a pessoa pode ser grande, mas arrisca-se a levar um estalo! (estou a brincar, eu sou mt pacífica).
    Num tema aparte, será que me podes explicar esse fascínio brasileiro com a Gisele Bundchen? ela parece seriamente uma modelo alemã bronzeada, tem uma capacidade excelente de pousar e é magra e tal mas, bem, parece um rapazinho (com silicone, mas n deixa de ter traços anatómicos masculinos por todo o lado). Eu percebo pq a pagam enqt modelo (ela é mt competente nas posições para parecer que tem curvas e assim), mas n percebo pq é que as brasileiras que não têm qq tipo de semelhança ao tipo de corpo da gisele a referenciam tanto.
    bem, bjs**
    ps: o anúncio estava a passar depois do jornal das 8 da noite, horário familiar...

    ResponderExcluir
  17. Ah a Cat disse uma coisa importante: porque é que as modelos famosas brasileiras parecem.... europeias?

    A Gisele até nome alemão tem!

    Eliane,
    não creio que a Gordinha esteja a gozar com a cara dos gordos, o que ela quer dizer é que sabendo ela o quanto é penoso ser a hipopótamazinha da rua, gostaria de ajudar as pessoas. Tão simples quanto isso.

    Outra coisa: tanto emigrante brasileiro a vir para Portugal, trazem tanta porcaria (pão de queijo,pamonha, picanha, e sei lá que mais) e ninguém traz o sistema do Vigilantes do Peso???? tss tsss

    ResponderExcluir