Fora do cabo

Desde ontem eu estou meio fora do cabo.

E isso não se deve ao beijo romântico entre o peão e a santinha. Ela é muito linda, mas realmente minha irmã tem razão em mandar ela fechar a boca. Ô mania de fazer tudo de boca aberta...

Mas, foi lindo. Só senti falta do berrante.

Mas, não é por isso que estou fora do cabo. Amanhã é minha apresentação e já estou desde ontem com medo de não ser qualificada. Eu sei lá porque, já que, se eu não for qualificada possivelmente eu esteja livre de tudo isso e possa seguir minha vida de gente que adora ser burra e só usa o cérebro pra fazer coisas lindas e fofas (e trabalhar).

E se eu for qualificada então terei mesmo que terminar o mestrado.

Mas sabe como é. Racionalmente acho que não tem como não ser qualificada. Mas emocionalmente ir lá e apresentar O QUE QUER QUE SEJA praquele povo me deixa nervosa. =X

Ontem tive cólica e dor o dia inteiro. Nem enchendo a cara de remédio melhorou. E como vocês sabem, meu cérebro tem uma disfunção que me faz acreditar que comida é analgésico e anti espasmódico, quando na verdade não é.

E para piorar o condicionamento errado do meu cérebro, minha mãe fez crostoli. Pelo menos é esse o nome que conhecemos. Para vocês terem uma idéia da merda que esse negócio é imaginem uma massa de pastel com 1/3 da espessura, doce, frita. Tá bom? Ainda não! Joga açúcar por cima e coloca uma bacia na sua frente.

Isso de ser descendente de italianos é que me deixa gorda! Só pode ser. Manja che te fa bene!

Pois bem, já tinha comido pão de queijo com chá (porque é quentinho e vai melhorar minha cólica), e depois uma goiaba que eu havia trazido (porque goiaba estraga rápido e já que eu trouxe, não vou trazer de volta), e janta (porque abobrinha com aquele frango que tinha sido guardado especialmente por mim não tem problema). Então eu ataquei o crostoli com vontade (e obviamente sem nenhuma fome).

Fazia tantos anos que minha mãe não fazia. E ficou tão (mais tão!) fininho e crocrante.

Aiaiai

Na minha infância, exigíamos que ela fizesse, e ela fazia. E fazia. E fazia. Na minha cabeça de criança, o que ela fazia durava semanas.

Senhor, abençoe a minha mãe! Ter mãe descendente de italianos é uma merda, mas é tão delicioso.....................................................


Comentários

  1. É melhor apanhar na qualificação do que no dia da defesa...

    Ai, mas comer é bom, gente, fazer o que?!

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Comer e muito bom!!!
    E eu que o diga!!
    Nao resisto a um bom prato de comida!!
    E por falar em italianos, adoro comida italiana!!
    Uma boa pasta com queijo por cima...hum.....ja estou com fome!
    Beijocas, tudo vai correr bem querida!

    xxx

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Aqui no sul é cueca virada mesmo. Ou Grôstoli, mas eu prefiro aquelas que tem uma massinha que nem bolinho de chuva,aiai!E eu sou filha de uma mãe que acha que criança gorda é criança saudável...aí tu já tira uma base porque eu sou, como se diz, "boa de boca".
    Pode contar com o meu pensamento positivo daqui,tá? Vai dar tudo certo!
    Beijão!

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Boa sorte na qualificação, vai dar tudo certo.
    Complicou tudo, já não sabia o que é Grôstoli, agora veio cueca virada também.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  7. Hahahah...
    eu q o dia sei bem como é ser descendente italiana, a genteee sofreee, mais é uma deliiiciiiaaa!!

    Boa sorte p vc!! bjs...

    ResponderExcluir

Postar um comentário