6/15/2010

Convites do meu casamento

Enfim termei meus lindos e apaixonantes convites de casamento!

Olhem a baguncinha organizada onde eles todos estão:


Agora olhem que gracinha charmosa:


Não vou mostrar a foto da parte de dentro, porque o Lindinho chiou e falou que não podia! Então depois que eu mudar o modelo que usei para um modelo genérico, vocês saberão o que tem lá. Formatatísticamente, quero dizer. Porque a preocupação é justamente com o monte de endereço e números de telefones. Sem contar os nomes completos, né?

Questão de segurança. Concordo.


Até a finalização foram várias provas, e vários papeis de rascunho, que não contabilizei. Mas vamos aos meus gastos direcionados (só o que foi gasto nos 80 convites feitos)

* 40 folhas de papel rosa A4 color set plus (rosa claro)
* 8 folhas de papel marrom A4 color set plus (marrom)
* 30 metros de fita de voal (sei lá eu, vejam na foto e identifiquem, cada loja chama essa fita de uma coisa) (na verdade foram 3 rolos de 10 metros)
* um cartucho de tinta remanufaturado

As folhas eu recortei com a guilhotina que meu pai fez. Arredondei os cantos com um arredondador que comprei, da tok e crie (por 19 reais). E colei com minha cola padrão aqui de casa que nem contabilizei.

* 40 * 0,60 = 24
* 8* 0,60 = 4,8
* 3 * 6,15 = 18,45
* 18,00

Total = 65,25

total por convite = 0,82

Ou seja, 80 centavos por convite. Pequeno, porém com cantos arredondados, fita da mais cara, papel do mais caro!

O tamanho do convite é meio A4. Ele fechado tem 15 x 12,5 mais ou menos.

Eu adorei fazer o convite, foi a parte mais divertida da coisa. Adorei o convite porque ele tem muitas coisas que eu desejei, e ficou do jeito que eu desejei!

* cantos arredondados!
* fita de voal
* rosa e marrom
* pequeno

E é LINDO!

Achei um pouco (só um pouco) caro! Mas é porque escolhi papel bom, e fita boa. Mas se tivesse mandado fazer, o de 65 centavos não teria a materia prima boa do jeito que eu queria.

Então, aprovadíssimo!

2 comentários:

  1. Gô, fiquei um tempinho sem vir aqui, tempo curto, não dou conta de todas as visitas, espero que não se chateie. Hoje consegui, adorei ver a sua organização (e lá isto é bagunça??? tem que ver as minhas coisas!rs) com os convites, tudo tão bonitinho, o convite está bonito, tudo muito caprichadinho, dá gosto de acompanhar.
    Olha, seu amor está certo, a gente não pode expor tudo, tudo, tudo. Segurança é fundamental, neste mundinho (real e virtual) tem de tudo, não podemos dar mole. Depois nos mostre como ficou por dentro, com informações genéricas e pronto, melhor para todos.
    Li seu outro post sobre a obesidade, a ansiedade e tudo mais. Não é mole mesmo. Acho que agora, aos poucos, muita coisa vai se normalizar, a correria está prestes a diminuir e aí, você terá melhores condições de dar foco, de um jeito mais legal, ao resto. Só tente não descuidar demais, para não encompridar o caminho de volta, não gera ainda mais ansiedade.
    Hora de respirar, você está certa.
    Está tudo dando certo, é o que vale. E o que virá, vai dar também. Você demonstra que é boa nisso, em FAZER ACONTECER, garota! Beijo grande!

    ResponderExcluir
  2. (Pô, só agora vi que postei o comentário do convite no post anterior, rsrsrs. Coisa de veinha que gosta de passear no supermercado, rsrsrs).

    Mas eu tinha que vir comentar seu comment. Eu, como uma pessoa de RH que fui, sei exatamente ao que vc se referiu quanto a contratarem pessoas de mais idade prá fazer um institucional do tipo: Vejam como nós respeitamos os idosos. Comprem aqui!
    Mas essa história do Seu Toninho tem mais a ver com aquelas pessoas que de uma hora para outra se vêem privadas de seu trabalho e não sabem mais o que fazer da vida. Os aposentados, os desempregados que perdem empregos de anos, pessoas que depositaram toda sua vida no trabalho. Não deixa de ser triste. No caso ele até estava naquela situação por ser meio maluquinho, mas duvido que um mercadinho "sem nome" como aquele colocaria o Seu Toninho ali prá vender. Se fosse assim o tal rapaz teria atendido a recomendação do "promotor de vendas senior" e teria saído correndo prá me trazer o queijo.
    Isso é o que eu penso da situação.

    Agora, cá entre nós? Eu me senti um pouco "Seu Toninho" também quando saí abruptamente do meu último emprego. Tá certo que eu nunca fui perambular por lá, mas vira e mexe eu sonho que estou sendo readmitida em uma função menor só prá poder voltar, ou que tento desesperadamente convencer meu ex-chefe a me recontratar. Então, sentimentalismos à parte, eu me identifiquei com o cara porque no fundo, no fundo, acho que sei bem como ele se sente.
    Bjs.

    ResponderExcluir