Minha lua de mel na Costa do Sauípe 3/4

Depois de chegar no hotel e conhecer o bar da piscina, finalmente o quarto! Preparem-se porque essa descrição ficou maior do que as anteriores
O restaurante por dentro

Uma das refeições do Lindinho


Acho que não deu nem meia hora, subimos pra recepção e nosso quarto já estava pronto (amém - senhor). E eu definitivamente não me lembro. Não sei se tomei banho, não sei se desarrumamos a mala, não me lembro de quase nada. Sei que o Lindinho estava roncando e eu vendo TV, com a cabeça zonza. Depois me lembro de acordar porque estava com fome, devia ser perto das 9h da noite. Acordei o Lindinho e descemos pro jantar. (acho que tomamos banho logo que chegamos, algo me diz que eu estava pronta pra descer pro jantar).

Esse foi o melhor jantar de todos que tivemos lá. Tinha um risoto ao molho funghi que estava espetacular! Também descobrimos a pizza com massa finíssima e pouco recheio que é o jeitão de pizza mais delicioso que eu já comi na minha vida (ganha até da pizza com massa fritinha do pizza hut).

O buffet do (único) restaurante era tipo selvserv. Tinha sempre um peixe, um frango, um boi, mas não era muito forte de carne, elas eram meio ‘estranhas’. Tinha sempre um arroz incrementado, e uma gororoba (muqueca de X, ensopado de Y, essas coisas). O buffete de salada era super variado, tinha sempre uns 5 tipos de salada. Além disso tinha o forno de pizza de onde saia uma atrás da outra, os caras virando a massa alí na sua frente, e ai-ai-ai, acho que me apaixonei. Ah! Também sempre tinha um caldo e um pãozinho em fatias. (além do refri+suco infinito, cerveja tinha que pedir e a “bahiana” trazia (as garçonetes ficavam fantaziadas de bahiana).

Mas, a perdição total estava na mesa de sobremesas. Tinha sempre no mínimo 5 doces. Além de cocada, é claro! Tinha uma torta de coco com chocolate que era espetacular! Tinha pudim de leite, doces de fruta, algum pudim, e sempre tinha coco e chocolate, e era um espetáculo e eu jaquei muito nessa mesa aí sem nenhum pingo de vergonha na cara (nos últimos dias eu mesma levantava e pegava eu mesma as sobremesas de tão desavergonhada que eu fiquei). Não se esqueça que se você for um chatofe e não gostar de nenhuma dessas sobremesas ainda dá pra pegar um simples sorvetinho de massa nestlé, básico!

Acho que depois desse jantar é que demos uma pequena passeada pelo que estava acesso do hotel. Logo voltamos pro quarto e foi a melhor noite que eu dormi depois de tudo. Foi aí que eu dormi e nem vi nada. Acho que essa foi a melhor noite que eu dormi desde que quebrei o braço, porque foram vários dias de dor, e depois foram vésperas do casamento, e a “noite de núpcias” foi horrível porque eu não consegui dormir no muquifo sem pensar que eu ia dar uma gessada na cabeça do Lindinho, ou então que eu ia tropeçar em tudo se precisasse ir fazer xixi, e o meu cobre-leito era muito duro (depois descobri que cobre-leito não é pra dormir, ô coisa inútil). Foi o melhor sono depois de muito tempo.

Cabe aqui um parágrafo exclusivo para falar da cama e como isso influenciou no meu sono maravilhoso. A cama era ENORME. Eu nem sei qual é o nome daquele tamanho. De lado (entre as duas laterais) eu ficava deitada toda dentro da cama, com a mão levantada! Ou seja, devia ter uns 2 metros de lateral (imagine eu deitada com o pé tocando em uma lateral e a mão tocando na outra, era isso). Um colchão maravilhoso (eu não senti, não sei se era macio ou duro, porque pra mim era perfeito). Um edredon muito macio (nojento sim, afinal se imagina que acabou de sair uma criança remelequenta do quarto, mas o edredon estava limpo e cheiroso). Tinha 3 travesseiros e eu peguei dois, um pra mim, outro pro meu braço com o gesso (que ficou entre mim e o Lindinho, sem prejuízo pra ninguém! Acho que esse fato que favoreceu meu sono. Ou seja, dormi com o braço no meio de nós dois e não achei que ia assassinar o Lindinho no meu do sono por traumatismo craniano. Eu nem sabia que o Lindinho estava alí durante a noite de tão longe que ele ficava!

No banheiro, a parte que cabe comentar é que tinha água quente e fria na torneira, mas isso só é legal para quem mora em casa que não tem isso. Acho que existe muita gente que acha isso normal.

No frigobar tinha 4 latinhas de refrigerante (normal) uma de cada sabor, e duas garrafas de 1 litro de água. Estava incluído no valor, mas só bebíamos a água de tanto caco-cheio que a gente ficava.

E assim acabou o primeiro dia.

Semana que vem, café da manhã e praia!


o link do hotel:
http://ww2.costadosauipe.com.br/SauipeFun.aspx

Veja também a Parte 1

Comentários

  1. Deve ter sido maravilhoso,
    Que delicia...

    Bjinhos

    ResponderExcluir
  2. Menina, que maravilha de lua-de-mel hein? Arrasou, hahahahaha! Um dia me jogo numa dessas, rs...


    Beeeeijo!

    FUIZ...

    ResponderExcluir

Postar um comentário