Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2012

Marcha das vadias

O que é:Um protesto contra o "senso comum" de que uma mulher estuprada "fez por merecer".
Porque: Sabe quando você está voltando pra casa depois de ter trabalhando até mais tarde e se pega pensando que deveria ter colocado outra blusa? Então, imagine o dia que você sai de casa de saia (qualquer saia) esperando voltar com o sol, mas seus planos se extendem e você acaba tendo que descer do busão, passar no meio do matagal, e ainda escuro?
Você acha que só por isso está fazendo por merecer ser estuprada?
Agora imagine que você é uma profissional do sexo, com roupa de guerra, esperando seu próximo cliente no seu ponto habitual. Você acha que ela está fazendo por merecer ser estuprada?
(se você pensou que sim, para esse caso, sinto muito, mas você é machista, preconceituosa e tem a cabeça desse tamanhico)
A marcha das vadias tenta mostrar que todas as mulheres são vadias quando se fala em estupro, não importanto qual roupa, qual nível de beleza, qual situação. Porque a culpa …

Desisti de desistir

Na última semana eu liguei para Orientadora e expliquei que eu não queria mais levar essa merda de mestrado pra frente.

Pela segunda vez eu disse pra ela que queria desistir.
E pela segunda vez ela não me deixou desistir.
Sabe, eu sei que são 5 anos de trabalho jogado fora. E não é um trabalhinho fácil. É sim um trabalhinho carne de pescoço.
Mas, pelo visto, a única forma de me livrar disso tudo é continuar trabalhando (só de pensar eu já tenho um piripaque aqui dentro).
Vou ter que fazer um trabalho aqui dentro para deixar de sentir 'piripaques' toda vez que pensar em mestrado. Ou então vão escrever no meu túmulo: "não terminou o mestrado até hoje"
Eu não sei ainda como vou fazer para ter ânimo para trabalhar no mestrado. Mas o fato é que eu vou ser obrigada a trabalhar, então, o melhor seria se eu conseguisse recuperar algum pensamento/argumento que fosse positivo em relação ao meu trabalho.
Trabalhar numa coisa em que a gente não acredita mais é tão frustrante.
Ma…

Mestrado

Vamos começar contextualizando.

Todas as instituições de mestrado consideram 2 anos um tempo mais do que suficiente para você trabalhar, escrever e defender sua tese.

Ok, com uma vagabundice aqui outra alí. Trabalhando enquanto faz o mestrado (oi!? Super tenho que colocar comida da mesa!). Digamos que uma pessoa normal consegue terminar um mestrado em 4 anos.

Então que eu comecei lá em 2006. E ainda não terminei. Já jubilei duas vezes. Simplemente porque eu não terminei, então, acabou meu prazo de "integralização".

Estamos em 2012.

E, ao que tudo indica, isso não incomoda nem um pouco minha orientadora. Se eu contar pra ela que jubilei novamente, é muito capaz que ela se surpreenda.

Mas até aí tudo bem. Você pode dizer que eu sou a vagabunda.

Acontece que essa Orientadora não para quieta! Ela vive me pedindo código que depois descarta. Vive mudando de idéia. Vive achando coisa. Mas até aí tudo bem. As vezes certas coisas não funcionam do jeito que a gente planeja, tem que mu…

Noticias

Minha vida não mudou absolutamente nada.
Ainda vivo na crise entre o desejo de comer e o desejo de ser outra pessoa e não ter desejo de comer.
Ainda tenho 2 quartos do pânico (Lindinho não me obedece e não arruma as suas roupas! As minhas já estão todas dentro do guarda-roupas)
Ainda estou patinando no mestrado.
Porém, tenho um monte de coisas dentro da minha cabeça. Estamos projetando nosso home-office. Desde o  princípio das coisas, sempre quis que um dos meus 3  quartos fosse um home office. Porque sei quão importante é ter um lugar de produtividade com uma mesa própria (e deixar de usar a mesa da cozinha) e uma cadeira boa (que não me doa as costas)
Pois bem, esse projeto de home office está sendo dureza. Mas é divertido.
Outro ponto, tive uma crise, meses atras, sobre minha loucura de cozinhar tudo que eu vejo. Decidi que passarei a ocupar meu tempo com outras coisas, e não só com a culinária. Decidi que também amo fazer artesanato. Que também amo jogar video-game. Que também amo cuida…