Marcha das vadias

O que é:
Um protesto contra o "senso comum" de que uma mulher estuprada "fez por merecer".

Porque:
Sabe quando você está voltando pra casa depois de ter trabalhando até mais tarde e se pega pensando que deveria ter colocado outra blusa? Então, imagine o dia que você sai de casa de saia (qualquer saia) esperando voltar com o sol, mas seus planos se extendem e você acaba tendo que descer do busão, passar no meio do matagal, e ainda escuro?

Você acha que só por isso está fazendo por merecer ser estuprada?

Agora imagine que você é uma profissional do sexo, com roupa de guerra, esperando seu próximo cliente no seu ponto habitual. Você acha que ela está fazendo por merecer ser estuprada?

(se você pensou que sim, para esse caso, sinto muito, mas você é machista, preconceituosa e tem a cabeça desse tamanhico)

A marcha das vadias tenta mostrar que todas as mulheres são vadias quando se fala em estupro, não importanto qual roupa, qual nível de beleza, qual situação. Porque a culpa do estupro não é do estuprador, e sim da mulher, que é uma vadia.

Portanto, quando se diz "marcha das vadias" é na verdade uma ironia, já que se trata de uma "marcha das mulheres". Claro, eu achei estranho da primeira vez que vi esse nome, e demorei uns bons segundos para entender a ironia, mas no fim achei formidável.

Minha mãe sempre me ensinou a não ficar mostrando meu dinheiro por aí. Sempre me ensinou a não dar bobeira com minhas mochilas, materiais, coisas em geral. Minha mãe sempre me ensinou que, além da violência normal, a ocasião faz o ladrão, então eu teria que aprender a estar, sempre que possível, um passo à frente.

No meu ponto de vista, eu penso que o melhor é realmente não dar bandeira pra vagabundo na rua. Ou ele quer me estuprar, ou me roubar, ou me sequestrar, ou qualquer coisa mal. Afinal, a ocasião faz o ladrão, e previnir é sempre melhor do que remediar (imagina roubarem meu celular?).

Porém, eu sempre fico imaginando, e se eu for estuprada? Quando for na polícia denunciar, será que vou ter que, além de toda a violência, ainda aguentar os/as policiais me encarando como se eu fosse a culpada? Ou então ter a certeza que estão me chamando de gorda pelas costas? (como aquela fatídica e imprópria piada de que tem casos que estupro é favor)

Então, eu acho que o principal ponto da marcha das vadias é pedir que os policiais, jornalistas, pessoas que trabalham com vitimas de estupro ou contra o estupro, que essas pessoas repensem seu jeito de agir. Porque, quem está alí, vitimada, não quer ter mais o peso da culpa. Porque afinal de contas, o estuprador poderia escolher qualquer uma, ou qualquer um.

Concluindo tudo em um parágrafo: Quem sobre estupro é vítima. O estuprador é o culpado e somente ele deve ser punido.

Ah, mais uma coisa. Eu acho desnecessário a mulherada arrancando a blusa e ficando de peito de fora no meio da passeata. Assim como acho desnecessário a mulherada fazendo topless na praia. Porém, cada um tem o direito de vestir ou não uma blusa, e isso não deve ser agravante num caso de violência. Se tivesse uma marcha das vadias aqui eu iria, e iria vestida com meu "uniforme de trabalho". Porque, afinal de contas, quem nunca se sentiu vulnerável dentro de um busão cheio de homens?

(Eu ainda acho que estupro não tem nada a ver com sexo. Tem a ver com dominação e violência. E portanto, é um desvio grave de carater. Porém, eu não sei os termos técnicos certos, e nem sei se esse meu pensamento procede. Portanto, deixe-mos isso num parênteses final)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Queimadura de limão

Doce de goiaba caseiro

Lava-Louça Enxuta Automática