10/15/2012

Blog action day - o poder do grupo

Esse ano, o BAD tem como tema "O poder do nós". Minha tradução fajuta para "The power of we".

Não é nova a ideia de que a união faz a força. Porém, nos dias cosmopolitas que vivemoa, vamos vivendo cada dia mais sozinhos e individualistas. Seja porque a vida é trabalhar, seja porque as outras pessoas estão cada vez mais esquisitas.

Com essa individualização acabamos que somente cuidando das nossas vidas, sobrevalorizando nossos problemas e tendo uma visão cada vez mais parcial do nosso cotidiano.

Não sei vocês, mas meus pais sempre me criticavam quando eu reclamava de banalidades, seja dizendo que eu tinha todos os meus membros, seja dizendo que eu sempre tive um prato de comida.

De fato, quanto mais nos enfurnamos em nosso casulo, mais deixamos de ver o quanto a participação em um grupo faz falta.

Eu poderia dar como exemplo as inumeras cooperativas de coleta seletiva. Porém, não as considero ainda prontas. Ainda há muito em que elas precisam melhorar. E se a grande maioria não é vista como profissional, é porque de fato não são.

Eu poderia dar como exemplo as diversas religiões nas quais o coletivo é sempre mais importante. Porém eu só tenho vivência na igreja católica. E nela eu sei que há muita obra coletiva. Como por exemplo as quermeses que rendem cem ou duzentos mil reais. Sempre tendo trabalho voluntário como base. Mas ainda assim, não considero esse exemplo tão especial (além, é claro, de todo preconceito sobre a religião).

Não que esses exemplos não sejam válidos. Mas eu quero aproveitar que estamos na época das Feiras das Nações da minha terra. Final de semana passado foi em Nova Odessa. No próximo, será em Santa Bárbara dOeste.

Entidades assistenciais da cidade gerenciam cada uma uma barraca de um pais. A prefeitura sede o local e o apoio necessário (policia, bombeiro, banheiro, alvará). A população vai gastar sua grana. Um tiquinho para ajudar, porém, acredito que a maior parcela esteja lá pela festa mesmo.

Assim, todo ano, essas entidades dão a oportunidade de uma grande festa e de uma grande arrecadação, sem apelar para a caridade.

Os trabalhadores das barracas são voluntários, a prefeitura paga alguns shows (simbólicos, a Ivete Sangalo nunca veio, normalmente são bandas regionais ou cantores setanejos, e a tradicional orquestra de violas) algumas entidades trazem apresentações de dança e teatro.

Eu gosto particularmente das apresentações da terceira idade e da orquestra de violas.

Quem faz com que essas festas deem certo? Nós. São as pessoas que trabalham, as que decidem, as que planejam, as que cantam, as que cozinham, as que costuram, as que fazem a segurança, as que fazem a limpeza, e as que comem e gastam seu dinheiro.

Mas se você acha que isso é pouco contato com o voluntariado, procure sua prefeitura, sua igreja, sua empresa. Tenho certeza que você vai achar um lugarzinho para chamar de seu.

Eu tenho uma vontadinha aqui dentro de ir visitar as pessoas do centro de quimioterapia da minha cidade. Mas ainda não tive coragem.....

2 comentários:

  1. Voluntariado é algo muito importante e muito esquecido. Há tanta gente aí fora precisando de um pouquinho do nosso tempo! Muita gente diz: "ah, mas eu não sei fazer nada, não posso ajudar". Pra mim, isso é má vontade, pois todos sabemos algo que pode ajudar o próximo. Nem que seja sentar pra conversar um pouco. Tem gente que só quer desabafar, por exemplo. É bacana procurar esse cantinho pra chamar de seu.

    ResponderExcluir
  2. bom,queria falar que me recomendaram esse blog é bom demais,ja li esse post varias vezes e outros,é sempre bom ver recomendações,ouvir falar que tem um site bom ai de rastreamento um tal de http://rastreamento.org alguem ja ouviu falar?sabe me falar se é bom?

    ResponderExcluir