A vida lá fora



Estou sumida? Não, tenho preferido focar meu tempo nas coisas que eu quero, que eu gosto, que vão me dar algum retorno.

Meu blog não me dá retorno?

Sim, já me deu muito retorno, porém, já me deu muito prejuizo também. E, todo mundo sabe, trabalho é trabalho, dinheiro é dinheiro.

De lá pra cá muito aconteceu aqui dentro da minha cabeça. Não sinto muito mais vontade de dividir meus pensamentos com o mundo. As coisas idiotas que tenho vontade de dividir eu falo lá no tuiter, o vento vem e leva, quem ouviu, ouviu...

Quando penso em escrever aqui é para choramingar. Para reclamar. Para dizer como os outros são uns tontos.

Eu tenho trabalhado muito. Tenho feito um ou outro progresso no mestrado, mas isso não é mais o foco da minha vida.

Descobri a máquina de fazer sorvete.

Redescobri o tricô.

Como tenho tido prazer com o tricô! Estou fazendo um xale, e já tenho o segundo projetado! Uma loucura.

Tenho cuidado da minha casa. Da minha personalidade. Do meu marido. Da minha vida.

As vezes eu sinto saudades dos tempos aureos do Gordinha da Silva. Porém, eu me lembro de tudo o que eu ja fui xingada aqui também. Hoje recebi um email de um cerumano me xingando de ridicula porque eu falo mau de bebes e de gatos.

Sabe, eu odeio essa moda de gatos. Entre gatos e cachorros eu prefiro cachorros. Apesar de preferir ainda meu tricô. Não tenho paciência para bicho.

Sobre bebês. Eu não lembro de alguma vez na vida ter xingado bebês. Assim, genéricamente. Sabe, os bebês são legais, principalmente depois que eles viram um ser humano. Antes, quando eles são muito pequenininhos, eles são OK. Estão lá, alguns são fofos, alguns não. Alguns ficam vermelhinhos, outros não. Mas, não tem muita graça, a menos de morder os pezinhos e ver a cara de meu-deus-que-que-é-isso que eles fazem. Ou então, ver o jato de xixi.

Agora, quando eles ficam pessoinhas, aí sim é legal! Porque aí você pode conversar com eles e eles respondem. Como é brilhante a mente de uma criança descobrindo o mundo!

Porém, a pessoa em questão acha que eu sou ridícula. Bom, ridícula é a senhora sua mãe.

Tenho também estudado muito o feminismo. Não esse feminismo de circo do femem. Tenho tentado ler teorias e entender porque, afinal, elas protestam com os peitos pra fora!

Sabe, é libertador entender porque elas protestam com os peitos pra fora!

Por outro lado, é triste constatar que o mundo é um mar de gente sem coração. Como as pessoas não conseguem enxergar um palmo na frente do nariz porque nosso mundo é encoberto por uma nevoa. E como é difícil enxergar além da névoa.

Por um terceiro lado, é estranho ver que mesmo dentro do feminismo há divergência. Então, chega um ponto em que você simplesmente desencana - ser humano é estranho mesmo (ponto)

Eu poderia vir aqui e contar as receitas de sorvete que ando fazendo. Talvez algum dia eu até conte. Eu poderia vir aqui e colocar meu peso de novo. Porém, o sentido para tudo isso acabou, eu acho.

Já fechei os comentários. E ainda assim recebo email me xingando.

Talvez o mundo seja isso aí mesmo.