5/20/2015

Limpeza domestica e seus atalhos

Como Buda, tenho tentado encontrar a paz na rotina de limpeza doméstica.

E assim como ele, já passei pela fase over dos dois extremos. Bem talvez eu ainda esteja lá em algum excesso!



Eu passei por uma fase em que eu queria controlar cada uma das pequenas tarefas domésticas. Eu estudei bastante sobre as listas, as rotinas, as frequências e havia decidido (claro) implementar tudo (claro) na minha vida.

Quanto tempo durou até eu me estressar? Não sei, mas não foi bom não.

Foi então que desencanei.



Desencanei e parei de limpar.

Parei de planejar.

Parei de querer.

Qualquer coisa estava bom, e quando a poeira se juntava, e eu tinha paciência, eu limpava. Quando tinha que pular algo, eu catava. Tirando roupa e louça, tava tudo parado.

Então, aprendi algumas coisinhas. Por exemplo, dá pra viver numa casa suja, e quanto mais sujo mais tempo leva.

Primeira lição aprendida:

Deixe a área de serviço agradável, e você não terá preguiça de limpar o resto

Segunda lição aprendida:

Estamos em 2015, e há ferramentas melhores do aquelas de 1870.

Estudei e testei algumas coisas, e estou com vontade de compartilhar. Quase não há conteúdo nacional para esse tipo de ferramentas, e senti falta de ouvir a opinião de alguém antes de comprar.

Acho que vai ser legal!

Nenhum comentário:

Postar um comentário